Como reduzir a sinistralidade do plano de saúde?

03 fevereiro, 2021

Para entender o que é a sinistralidade, é necessário estabelecer a relação que há entre o custo e a receita no plano de saúde. Toda vez que algum benefício do plano de saúde é utilizado por um beneficiado, há a geração de um sinistro — que pode ter um custo alto, levando em consideração a real necessidade de sua realização e o valor elevado de alguns procedimentos. 

A taxa de sinistralidade aumenta de maneira significativa quando exames e outros procedimentos médicos são realizados com frequência e sem necessidade comprovada, o que faz com que as taxas disparem de um ano para o outro. 

Os valores de reajuste máximo são regulamentados pela Agência Nacional de Saúde (ANS). O reajuste para planos individuais ou familiares entre 2019 e 2020, por exemplo, foi de aproximadamente 7%. Já no plano de saúde empresarial, o reajuste foi de 149% num período de sete anos, representando uma média de 21,2% ao ano. 

Quais ações devem ser tomadas para diminuir os gastos com a sinistralidade e focar esses valores em mais benefícios para os colaboradores? Separamos algumas dicas para você, confira!

Foque na medicina preventiva

A prática de atividades físicas regularmente, associada a uma alimentação equilibrada, contribui para a manutenção da saúde e do bem estar, o que acaba gerando uma baixa na utilização dos planos de saúde. 

Tais iniciativas contribuem não apenas para a prevenção de doenças como a obesidade e as comorbidades que derivam desse quadro, como também estimulam a manutenção da saúde mental. Proporcionar ginástica laboral e opções saudáveis para a alimentação no ambiente de trabalho são ações simples que corroboram com o propósito de diminuir a sinistralidade.

Ao incentivar bons hábitos e um cuidado preventivo com a saúde, é possível reduzir os sinistros gerados na empresa. A adoção destes hábitos pode ser incentivada através de ações como vantagens e descontos em academias, programas de nutrição e afins, possibilidade que a ANS permite por regra.

A proatividade em acompanhar a saúde de maneira moderada faz com que a prática se torne parte da rotina, o que reduz o risco de emergências e situações que tenham um custo assistencial mais elevado. 

Se uma doença crônica é identificada no início, por exemplo, o tratamento pode iniciar imediatamente, diminuindo a chance de complicações e procedimentos emergenciais. 

Apoie as campanhas públicas de saúde

Durante todo o ano, as três esferas governamentais (Federal, Estadual e Municipal) realizam campanhas para a conscientização sobre o autocuidado e a prevenção de diversas doenças, através de ações como Setembro Amarelo, Outubro Rosa, Novembro Azul, campanha anti-tabagismo e campanha de vacinação.

Engaje os usuários a cuidarem de sua saúde, repassando informações pertinentes aos temas das maneiras que fizerem mais sentido para a sua empresa, seja através de material impresso como cartazes ou até mesmo avisos internos pela internet.

Campanhas sobre a segurança do trabalho e a utilização de EPIs também são muito importantes, pois afastam as situações de risco para os colaboradores e, automaticamente, reduz o número de acidentes a serem atendidos pelo plano de saúde.

Leia também: Por que investir em programas de saúde na empresa?

Controle os recursos e adote a coparticipação

Adotando auditorias e análise de relatórios para identificar o que tem sido realizado e quais são os recursos investidos para cada um dos procedimentos, você consegue ter maior controle sobre a sinistralidade e entender como cada beneficiário utiliza o plano de saúde no seu dia a dia.

Você pode contar com a ajuda de uma ferramenta de inteligência de mercado para analisar esses dados com precisão e obter insights estratégicos sobre a gestão de saúde na sua empresa. A Wellbe oferece a sincronização e o processamento desses dados, trazendo análises ricas que são essenciais para uma gestão de benefício de saúde com praticidade e assertividade.

Outra solução que pode fazer bastante sentido na hora de diminuir os custos com sinistralidade é adotar a coparticipação, onde parte das despesas é custeada pelo usuário. Amplamente empregada para evitar fraudes e estimular a consciência ao utilizar o plano de saúde, deve sempre estar de acordo com as regras estabelecidas pela ANS: existem procedimentos que são isentos de cobrança, como exames preventivos e tratamento de doenças malignas.

É possível aplicar o modelo mais compatível com a sua realidade, pode ser através da bonificação com descontos ou bônus àqueles que possuem boas práticas ao utilizar o plano de saúde, ou por cobrança de percentual, valor fixo e taxas extras para excedência do teto de gastos. 

reduzir sinistralidade

Conte com a Wellbe para reduzir os custos em saúde!

Para possibilitar a redução da sinistralidade, a eficiência do sistema e a qualidade do atendimento são dois fatores importantes. Tecnologias e plataformas de gestão de saúde podem te auxiliar na tomada de decisões mais assertivas. 

A Wellbe coleta dados de diferentes fontes, como operadoras e seguradoras de saúde suplementar, com a finalidade de facilitar a gestão de saúde. A gama de informações disponíveis para auxiliar no controle populacional de seus beneficiários é extensa: relatórios financeiros, demonstração de dados estatísticos do perfil epidemiológico da população, gestão de atestados, ranking de utilização por beneficiários, prestador e procedimentos (rol da ANS), auditoria médica e muito mais.

Além disso, a Wellbe é uma plataforma focada em gestão empresarial de saúde e bem-estar, possuindo integrações com os aplicativos Google Fit e Strava, dispositivos como Apple Watch e outros, com o objetivo de incentivar uma vida mais saudável para todos os colaboradores da sua empresa. 

Quer reduzir a sinistralidade dos planos de saúde e otimizar a gestão de saúde na sua empresa? Agende agora mesmo uma demonstração e saiba como podemos ajudar você!

Leia também

Deixe seu comentário